Logo Laboratório Carlos Chagas
Icone Exames
Icone Resultados do Exames
Icone Unidades
Icone News
Icone Lifes
Icone

Ocorre anemia quando o número de hemácias (glóbulos vermelhos do sangue) e a quantidade de hemoglobina (encontrada nas hemácias) diminuem para níveis abaixo do normal. As hemácias e a hemoglobina dentro delas são necessárias para transportar oxigênio dos pulmões para o resto do corpo. Muitos tecidos e órgãos podem ser prejudicados sem um suprimento adequado de oxigênio. A anemia pode ser branda, moderada ou grave, dependendo do grau de diminuição da contagem de hemácias e dos níveis de hemoglobina. É um problema comum que afeta homens e mulheres de todas as idades e grupos étnicos. Entretanto, algumas pessoas têm um risco maior de desenvolverem anemia, incluindo as que se alimentam com pouco ferro e vitaminas; com doenças crônicas, como doenças renaisdiabetes, câncer, doença intestinal inflamatória; com história familiar de anemia hereditária; com infecções crônicas, como tuberculose ou HIV; e pessoas com perda sanguínea significativa por causa de lesões ou cirurgias.

A carência de ferro é a causa mais comum de anemia. Os sintomas dependem do grau de diminuição do nível de hemoglobina. Os sinais e sintomas mais comuns incluem:

Sensação de cansaço, fadiga.

Falta de energia.

Os sintomas característicos da carência de ferro, que podem aparecer com a diminuição das reservas de ferro do corpo, incluem unhas quebradiças ou em forma de colher, língua inchada ou dolorosa, rachaduras e úlceras nos cantos da boca e vontade de comer substâncias não alimentares, como gelo ou terra.

leia tambem: https://www.carloschagas.com.br/noticia/o-que-sao-as-deficiencias-de-vitamina-b12-e-folato

O ferro é um elemento essencial para a produção de hemácias. É um componente do heme, uma parte da hemoglobina, que é a proteína das hemácias que transporta o oxigênio no corpo. As reservas são usadas quando não é ingerida uma quantidade de ferro suficiente para as necessidades do corpo. Quando as reservas se esgotam, forma-se menos hemoglobina, que resulta em anemia.

Algumas causas de deficiência de ferro incluem:

Sangramento. Se for excessivo ou durar algum tempo (crônico), o corpo pode não ingerir ferro suficiente ou não ter reservas em quantidade necessária para repor as hemácias perdidas. Em mulheres, a deficiência de ferro pode ser provocada por menstruação excessiva. Em homens ou em mulheres após a menopausa, o sangramento em geral é consequência de doenças intestinais, como úlceras ou câncer.

Deficiência dietética. A deficiência de ferro pode ser resultado de sua ingestão insuficiente na dieta, especialmente em crianças e mulheres grávidas, que têm necessidades maiores. As grávidas ou as que estão amamentando desenvolvem, com frequência, essa deficiência porque o bebê precisa de grande quantidade de ferro para crescer. A carência pode resultar em baixo peso ao nascer ou em prematuridade. Para evitar essas complicações, as mulheres grávidas devem tomam suplementos de ferro como rotina. Recém-nascidos amamentados por mães com deficiência de ferro também podem desenvolver anemia.

Má absorção de ferro. Algumas doenças prejudicam sua absorção no intestino, podendo causar anemia. É o que ocorre, por exemplo, na doença celíaca e na doença de Crohn.

fluxograma de detecção de anemias

Exames laboratoriais

Os exames de sangue iniciais incluem um hemograma. Os resultados podem mostrar:

Hemoglobina. Pode ser normal no início da doença, mas diminui com a piora da anemia.

Índices hematimétricos. No início, as hemácias apresentam tamanho e cor normais (hemácias normocíticas normocrômicas). Com a piora da anemia, ficam pequenas (microcíticas) e pálidas (hipocrômicas).

Volume médio das hemácias (VGM) – Pode diminuir.

Quantidade média de hemoglobina por hemácia (HGM) – Pode diminuir.

Aumento da variação do tamanho das hemácias (RDW) – Pode aumentar.

O exame de um esfregaço de sangue pode mostrar hemácias menores e mais pálidas que o normal, e que variam de tamanho (anisocitose) e forma (poiquilocitose).

Se o médico suspeitar que a anemia é provocada por deficiência de ferro, ele pode pedir diversos exames para confirmar a deficiência, como:

Ferro sérico - Indica o nível de ferro no sangue. Em geral, está baixo.

Ferritina - Reflete a quantidade de reserva de ferro do corpo e, em geral está baixa. É considerado o exame mais específico para identificar anemia por deficiência de ferro, a não ser que haja infecção ou inflamação.

Capacidade total de combinação do ferro e transferrina - Medidas da proteína transportadora de ferro no sangue, aumentada da carência de ferro.

Se houver suspeita de que a deficiência de ferro é provocada por sangramento, como o gastrointestinal crônico, podem ser feitos outros exames, como:

Pesquisa de sangue oculto nas fezes

A pesquisa de Helicobacter pylori é feita para detectar uma bactéria que provoca úlceras digestivas que podem ser a causa de sangramento crônico. Se algum desses exames for positivo ou se houver uma forte suspeita de sangramento intestinal, podem ser feitas uma endoscopia digestiva alta ou uma colonoscopia para determinar a localização do sangramento e orientar o tratamento.

A deficiência de ferro é tratada com suplementos de ferro. Entretanto, quando há suspeita de perda sanguínea anormal, devem ser feitos outros exames para determinar a causa do sangramento. Quando esta é encontrada e tratada, a anemia geralmente desaparece.

 PARA SABER MAIS : https://labtestsonline.org.br/conditions/anemia