Logo Laboratório Carlos Chagas
Icone Exames
Icone Resultados do Exames
Icone Unidades
Icone Taxicológico
Icone News
Icone Cerbalca

A vitamina B12 e o folato são duas vitaminas do Complexo B, necessárias para a formação normal das células vermelhas do sangue (hemácias) e para o reparo a dano tissular e síntese do DNA. Uma deficiência de vitamina B12 e/ou folato reflete uma redução crônica dessas substâncias. Uma vez que o organismo armazena o suficiente para três a seis anos de vitamia B12, e cerca de três meses de suprimento de folato no fígado, as deficiências e seus sintomas associados podem levar de meses a anos para se manifestar em adultos. Recém-nascidos, lactentes e crianças apresentarão sintomas mais rapidamente, uma vez que eles não têm ainda suas reservas estabelecidas.

Ao longo do tempo, uma deficiência de B12 ou folato pode produzir anemia macrocítica (com hemácias de tamanho aumentado), que é uma condição caracterizada pela produção de hemácias em menor número e de maior tamanho, e resulta em redução na capacidade de transporte de oxigênio. Devido à esta anemia, as pessoas afetadas podem sentir fraqueza, vertigens e dispneia (falta de ar). A deficiência de B12 pode resultar também em graus variados de neuropatia ou dano neurológico, causando formigamento (parestesias) e perda de sensibilidade nas mãos e nos pés. Em casos graves, podem ocorrer mudanças mentais, desde quadros de confusão e irritabilidade até demência.

Mulheres grávidas necessitam de quantidades aumentadas de folato para o desenvolvimento normal do feto. Devido ao estresse adicionado pelo crescimento rápido das células do feto, são necessárias quantidades maiores de folato. Caso uma mulher apresente deficiência de folato antes ou durante a gravidez, ela será intensificada durante a gestação, e pode levar ao nascimento prematuro e a defeitos do tubo neural, como espinha bífida, no bebê. O número de casos de defeito do tubo neural sofreu uma redução em 36%, nos Estados Unidos, graças a campanhas sobre a suplementação de folato durante a gravidez.

A Síndrome das Pernas Inquietas, durante a gravidez, é outro sintoma associado com insuficiência de folato.

Sintomas

Os sintomas associados à deficiência de folato são inicialmente sutis e inespecíficos. Relacionam-se à anemia macrocítica resultante, ao envolvimento neurológico e a alterações gastrointestinais. Pessoas com deficiência precoce podem ser diagnosticadas antes que apresentem quaisquer dos sintomas que mais se destacam. os sintomas, que podem ser leves ou intensos, incluem:

Diarreia

Vertigens

Fadiga, fraqueza

Perda de apetite

Malabsorção

Palidez cutânea

Taquicardia (palpitações)

Dispnéia (falta de fôlego)

Inflamação (dor) de língua e garganta

Parestesias, perda de sensibilidade, e/ou sensação de queimação nos pés, mãos, braços, e pernas (carência de B12)

Confusão

Paranoia

Causas

As causas para as deficiências de vitamina B12 e/ou folato incluem:

Insuficiência dietética

A vitamina B12 é encontrada em produtos de origem animal, como carnes vermelhas, peixes, aves, leite e ovos. O folato (também chamado ácido fólico) é encontrado em vegetais folhosos verdes, frutas cítricas, feijões secos e leguminosas, leveduras e cereais fortificados. O corpo humano é capaz de estocar vitamina B12 suficiente para vários anos no fígado. Nos Estados Unidos, como está sempre disponível na alimentação, é muito raro ocorrer uma deficiência dietética dessa vitamina. Pode ser encontrada, algumas vezes, em casos de desnutrição grave, em vegetarianos (do tipo estrito, ou seja, que não consomem quaisquer produtos de origem animal, incluindo leite e ovos) e lactentes filhos destes vegetarianos. Nos lactentes e bebês, a deficiências se manifestam razoavelmente rápidas, já que eles não possuem os mesmos estoques dos adultos.

A deficiência de folato já foi mais comum nos Estados Unidos, mas, em 1997, o governo tornou obrigatória a suplementação de ácido fólico em cereais, pães e outros produtos de cereais. Desde então, o número de mulheres férteis com níveis de folato reduzido reduziu de 21% a menos de 1%. Fenômeno similar ocorreu no Brasil, onde, desde 2002, as farinhas de milho e de trigo são suplementadas com ferro e folato. Uma vez que o folato é estocado nos tecidos em quantidades inferiores à vitamina B12, ele deve ser consumido de forma mais regular.

Malabsorção

Tanto a vitamina B12 como o folato podem estar deficientes em condições que interferem com a sua absorção no intestino delgado. Isto pode incluir:

Doença celíaca

Crescimento bacteriano exagerado, ou a presença de parasitas nos intestinos

Redução na produção de ácido do estômago. O ácido estomacal é necessário para separar a vitamina B12 das proteínas do alimento. Esta é a causa mais comum de deficiência de B12 no idoso e em indivíduos que utilizam drogas que suprimem a produção de ácido gástrico.

Anemia perniciosa - Causa mais comum de deficiência de vitamina B12. O Fator Intrínseco (FI) é uma proteína produzida pelas células parietais, que se dispõem ao longo da superfície interna do estômago. A vitamina B12 se liga ao FI e forma um complexo que é absorvido nos intestinos. No caso da Anemia Perniciosa, pouco ou nenhum FI é produzido e, por isso, a absorção de vitamina B12 não ocorre em quantidade suficiente.

Cirurgias que removem parte do estômago (e as células parietais) ou os intestinos podem reduzir de maneira importante a absorção. Isso deve ser levado em conta quando se realizam procedimentos de bypass ou anastomose no sistema gastrointestinal.

Pancreatite crônica

Aumento na demanda ou necessidade

Todas as mulheres grávidas necessitam de maiores quantidades de folato para que ocorra o desenvolvimento apropriado do feto. Caso uma mulher apresente deficiência de folato antes da gravidez, ela se intensificará durante a gestação, podendo levar ao nascimento prematuro e a defeitos do tubo neural na criança. Pessoas com câncer disseminado (metastático) ou com anemia crônica, anemia hemolítica - tais como a ocasionada pela Doença Falciforme - apresentam maior necessidade de folato.

Outras causas:

alcoolismo crônico causa deficiências de B12 e/ou folato devido à dieta deficiente e à absorção reduzida da vitamina B12 a partir das proteínas.

Algumas drogas podem provocar deficiência de vitamina B12. Por exemplo, metformina e omeprazol causam, respectivamente, malabsorção de vitamina B12 e sua liberação inadequada a partir das proteínas, devido a uma queda na produção de ácidos pelo estômago.

Medicações antiepilépticas como a fenitoína (difenilhidantoína) podem reduzir o conteúdo de folato, como também drogas como o metrotrexato que, respectivamente, bloqueiam a sua absorção e afetam seu metabolismo e utilização.

fluxograma de investigação

Exames

Os exames laboratoriais podem ser utilizados para se detectar uma deficiência vitamínica, determinar sua gravidade, estabelecê-la como a causa subjacente aos sintomas do paciente, e monitorar a eficácia do tratamento. A anemia e os macrócitos (hemácias de tamanho aumentado), associadas a uma deficiência de vitamina B12 ou folato, são frequentemente detectados inicialmente durante um hemograma de rotina. São realizados testes laboratoriais como forma de complementar a identificação da deficiência específica.

Testes laboratoriais

Frequentemente,são requisitados para diagnosticar ou monitorar deficiências de vitamina B12 e folato:

B12. Dosagem de vitamina. Caso se apresente reduzida, é indicada a presença de uma deficiência, mas sem identificar a sua causa. Pode ser solicitada para monitorar a efetividade do tratamento.

Dosagem do folato. Podem ser testados tanto os níveis séricos como eritrocitários. Se qualquer um dos dois estiver reduzido, indica uma deficiência. Pode ser utilizado para monitorizar a eficácia do tratamento.

Hemograma. Este é um conjunto de testes solicitado como rotina em triagem de anormalidades de células do sangue. São mensuradas células, tipos, quantidades e características. Nas deficiências de vitamina B12 e de folato, podem estar reduzidas a quantidade de hemoglobina e a contagem de hemácias, e estas podem ser anormalmente grandes (macrocíticas ou megaloblásticas), resultando em anemia. A contagem total de leucócitos (células brancas) também pode estar reduzida.

Testes pouco frequentes mas que, às vezes, são usados para diagnosticar deficiência de  B12 e folato:

Ácido Metilmalônico (AMM). Às vezes,é solicitado para auxiliar a detectar deficiência discreta ou precoce de vitamina B12.

Homocisteína. É pouco pedido. Ela pode estar elevada tanto na deficiência de vitamina B12 como na de folato.

Solicitados para auxiliar a determinar a causa de uma deficiência de vitamina B12: 

Teste de Schilling - Era pedido com frequência para a confirmação de anemia perniciosa. Hoje em dia, não costuma estar mais disponível.

Anticorpos contra fator intrínseco - Evitam que o fator intrínseco exerça sua função, isto é, transportar a vitamina B12 e permitir que ela seja absorvida em um segmento específico do intestino delgado.

Anticorpos contra células parietais - São anticorpos dirigidos contra as células parietais, que produzem o fator intrínseco. Estão presentes em grande proporção de pacientes com anemia perniciosa, mas também podem ser vistos em outras doenças autoimunes.

Tratamento

O tratamento das deficiências de vitamina B12 e folato frequentemente envolve a suplementação a longo prazo ou por toda a vida. As pessoas com deficiência de fator intrínseco ou que apresentam condições que causam a malabsorção, precisam de injeções periódicas de vitamina B12. O folato é administrado como suplemento oral.

Os médicos recomendam que todas as mulheres que planejam engravidar tomem suplementos de ácido fólico antes e durante a gravidez, para assegurar que tenham um estoque suficiente para garantir o desenvolvimento fetal normal.

Quem apresenta deficiência tanto de vitamina B12 como de folato precisa de suplementos de ambos. Se uma pessoa com deficiência de vitamina B12 for tratada apenas com suplemento de folato, a anemia macrocítica poderá ser resolvida, mas continuará a existir a neuropatia causada pela deficiência de vitamina B12. Um tratamento apropriado deverá fazer desaparecerem os sintomas, mas talvez não possa reverter todo o dano neurológico.